.:: Êxtase da Deusa ::.

Memorial

* Navegue no interior do site pelas "palavras de toque" ou através do "Arquivo do blog".

Círculo de Mistérios Femeninos
Rito da lua nova de novembro/2011

Guardiãs da lunação de novembro: 
Alex Godinho e Marianne Muniz


Coordenação: Marcela Zaroni (Shakti Lalla)
shaktilalla@hotmail.com


Informações sobre local:
espacomulherancestral@gmail.com



Mais informações, clique na imagem para ampliá-la.


Faça parte do nosso grupo no FACEBOOK:
http://www.facebook.com/groups/294898103855879/
Read More …

Quando Clarissa Pinkola Éstés lançou o seu uivo em forma de um livro de quase 500 páginas, talvez não imaginasse o quanto sua mensagem viria a se disseminar pelo mundo, tocando nas profundezas do imaginário feminino, acordando a matilha, despertando gerações e mais gerações de mulheres que se re-descobriram no arquétipo da mulher selvagem.

Muitas das mulheres que hoje se reunem em torno do movimento de espiritualidade da Deusa, na busca do Sagrado Feminino, em círculos de mulheres, em rodas de contação de histórias, grupos de estudos, arteterapeuticos, manifestações artísticas, foram profundamente tocadas e inspiradas pelas lendas, histórias e interpretações junguianas desta autora, que, podemos e devemos reconhecer, construiu uma verdadeira escola.

"Mulheres que correm com os lobos", é um livro que é mais do que um conjunto de artigos e temas reunidos, é mais do que uma interpretação da teoria junguiana dos arquétipos, é uma verdadeira medicina...no sentido mais "xamânico" que podemos dar a este termo.

Ao ser tocada por suas histórias, uma mulher (ou um homem, por que não? já conheci alguns que se permitiram isso de uma forma muito bela) é capaz de se libertar de uma relação ou situação opressora, capaz de recriar a sua própria vida, dar corpo a sua arte, repensar sua trajetória, permitir-se amar, morrer e renascer em vida, se curar.

É um livro que nos remete ao pertencimento. A necessidade de encontrarmos nosso clã, de celebrarmos em irmandade, de partilharmos sua leitura e interpretação, de transbordarmos a mera relação de expectadores-leitores, nos tornarmos agentes de nossas próprias mudanças e da mudança do mundo.

É também um caminho certeiro para o encontro de nosso poder pessoal, no reconhecimento de nossas dores, cicatrizes, experiências, como parte do que somos, como a trajetória que devemos honrar e ensinar.

Chegar a sua leitura, vem por um chamado. Endender suas histórias, vem pelo reconhecimento da nossa própria experiência. Este definitivamente é um livro que surge para aquela/le que está pronto/precisando lê-lo. É um livro que transita pelo universo das sincronias.

É com ele, que estamos reescrevendo parte da nova história das mulheres.  Esse algo mais próximo do que realmente somos. Mulheres ( também ou quase sempre, mesmo que a espreita) selvagens.

Read More …

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...