.:: Êxtase da Deusa ::.

Memorial

* Navegue no interior do site pelas "palavras de toque" ou através do "Arquivo do blog".

"cosmic womb" por Avital Aharoni

 

 "Woman in the sun"

As Cerâmicas e instalações da artista  israelense Avital Aharoni são obras que remetem a arqueologia do feminino,  transcendendo tempo e espaço. A artista contemporânea combina os materiais naturais de forma única, evocando espiritualidade e ancestralidade. 

Mais de sua arte, e de seu companheiro  Alon Aharoni, podem ser encontradas no sítio Desert Vision , nesta galeria Flickr ou em na galeria  Saatchi.

"
I was born in Israel on 1955. my parents are Holocaust survivors from Hungary. I live in the south of Judea desert, right above the Dead Sea. I live in an area populated with Bedouins, with whom i have very close relationship. In 2003, we got a disserted industrial loft; we renovated it and transformed it into an Art Gallery of earth and clay art. 

In my artistic work I'm inspired by the views, the sites, the atmosphere, the lines and the colors of the desert. I'm a ceramic sculptress. I work mostly with the natural colors of the earth and the region clay.
* 
I call myself an intuitive artist. I'm self educated beside few courses. I have an M.ART degree for art education of Breton Hall College of Leeds University. I exhibited in a solo exhibition on 1999. Nowadays I exhibit only in group exhibitions, always with ceramic sculptures and ceramic sculptures and installations."*
Já a artista chinesa Yin Xiuzhen  propõe através de instalações utilizando-se de materiais sintéticos, uma experiência interativa e acolhedora.  Em sua instigante obra Introspective Cavity os visitantes caminham numa espécie de caverna-útero feita de remendos, espelhos e sons de água.

 A caverna introspetiva é uma experiência de recolhimento ao ninho. Local de ruptura entre o cotidiano urbano e um devir arte embrionário. Ao penetrá-lo, há um retorno evocativo ao nosso estado primordial.
"O ser humano vem das entranhas da mãe", diz Yin Xiuzhen,  um lugar onde “se é convidado a olhar o  interior, para suas próprias memórias, fantasias e aspirações".
A artista transforma roupas usadas nas grandes cidades, em obra orgânica viva.

"Introspective Cavity" por Yin Xiuzhen

Judy Chicago é a artista americana feminista conhecida por sua provocativa instalação  na década de 70, com pratos de porcelana ao longo de uma grande mesa triangular e posta, ilustrando formas de vaginas, flores e sementes entreabertas. Cada lugar a mesa evoca a presença de uma mulher representativa para história.

"The Dinner Party" por Judy Chicago

Sua participação na exibição de arte feminista "WACK! Art and the Feminist Revolution" tornou seu trabalho internacionalmente reconhecido, símbolo das reinvindicações de sua época,  sofreu inúmeras críticas no contexto da arte e da política.

Atualmente Judy Chicago da continuidade a sua arte utilizando-se do tema da erótica feminina. Seu trabalho pode ser conhecido no site da artista e pode ser bem visualizado no site do Brooklyn Museu. Informações importantes desta obra podem ser encontradas neste link do Wikipedia.

  

 "A confecção dos The Dinner Party parece ser sido, dentre muitos esforços coletivos grupais de artistas contemporâneas em recuperar a consciência matriarcal, a iniciativa mais bem sucedida. Esses aventais de mesa triangulares eram utilizados nos festins frequentados pelas deusas, heroínas, artistas, escritodas e líderes femininas da antiguidade. A versão criada por Judy Chicago inclui marcadores de lugar bordados e pratos ornamentados de cerâmica que celebram a sexualidade feminina. O que mais aprecio neste trabalho de celebração, bem como no livro escrito a respeito, são a seriedade da pesquisa e a continuidade histórica na linha do tempo que liga vestígios das raízes pré-históricas da cultura da Deusa à modernidade. Ao caminhar ao redor da mesa, não há como deixar de sentir a intenção ulterior das artistas: ao gerar um momento especial que possibilite uma convergência energética para com nossas irmãs e ancestrais."  ( Vicki Noble ,  "Mother piece")

 Para finalizar o post, trago a arte da jovem artista californiana, descendente de japoneses, nascida em 1982, Audrey Kawasaki. De extrema delicadeza, as obras desta artista, feitas em óleo sobre madeira, misturam elementos do mangá japones e da art-nouveau.

Pinturas primorosas em tons pastéis no estilo figurativo, sempre sobre o suporte madeira, ainda que sobre utensílios, shapes de skate, ou placas...onde se sobressaem como parte da pintura as fibras/veias da madeira.
Em suas obras é comum a estética do homoerotismo feminino. Com influências do design e do graffiti. Linhas, nudez, flores, animais, adereços e tatuagens japoneses...um repertório de imagens que entrelaçam o feminino, a cultura urbana, os elementos naturais e  a sexualidade.
É possível conhecer melhor o trabalho da artista mirim em seu site e também navegar pelo google e se maravilhar em sua rica e extensa produção.
Em seu atelie em Los Angeles é comum encontrá-la pintando agachada sobre suas telas imersa no processo criativo..


"Superstition" por Audrey Kawasaki

Categories:

Leave a Reply

Deixe seu Recado ou Sugetões:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...