.:: Êxtase da Deusa ::.

Memorial

* Navegue no interior do site pelas "palavras de toque" ou através do "Arquivo do blog".

Yoni Tantra

O Yoni Tantra é um texto sagrado de Bengal, do primeiro século, contendo principalmente a descrição do Yoni Puja, com os segredos deste ritual, dedicado a criar e a consumir o Yonitattva (líquido sagrado). De acordo com esta escritura o Maithuna (a união sexual) é uma das partes do rito kaula tântrico, onde a Yoni é o centro de adoração.

Sendo um texto oculto, sua interpretação e uso, exigem do sadhaka a iniciação nos mantras secretos de Shakti e a orientação de um verdadeiro Guru.

Constantemente têm-se feito uso errado deste ritual, principalmente por parte do aspirante ocidental, que associa o sexo causal a prática espiritual, e a usa como artifícios para se obter privilégios e experiências sob o pretexto do Tantra.

Embora parte do texto esteja disponibilizado neste site, sugiro que o estudante leia primeiramente os textos anteriores apresentados, para que compreenda minimamente os conceitos de Shakti/Devi -Yoni e Shiva/Lingam, no entanto, afirmo que isto não garantirá resultados para a prática.

Segue-se o texto para a apreciação dos devotos e estudantes:

- YONI TANTRA -

Parte 1

Assentado no pico do Monte Kailasa, o deus dos deuses, o guru de todas as criaturas, foi assim questionado por Naganadini, a deusa de face sorridente:

“Senhor, foram criados 64 tantras. Diga-me, Oceano de Compaixão, qual o principal deles.”


MAHÓDEVA disse:

"Ouça, querida PARVATÍ, este grande segredo.

Você já me pediu para ouvir isso dez milhões de vezes. Ó Bela, é por causa de sua natureza feminina que você continuamente me pergunta isso. Você deve ocultar isso fortemente. PARVATÍ, existem os lugares sagrados [PÁTHA] do MANTRA, do YANTRA e do YONI. Dentre esses, o principal é certamente o YONI PITHA, que é revelado a você por meu afeto. Ouça cuidadosamente, Naganandini. Hari, Hara e Brahma se originaram do YONI. Uma pessoa não deve cultuar o YONI se ela não tem o mantra da SAKTI. Esta iniciação e este mantra libertam do inferno.

Eu sou Mrtyunjaya, aquele que ama o seu YONI. Surasundari, eu sempre cultuo DURGA no lótus de meu coração. Isso liberta a mente de distinções como as de DIVYA e VIRA. Ó senhora deusa! Cultuando desse modo, a libertação é colocada ao alcance da pessoa. Aquele que cultua o YONI deve preparar o mantra de SAKTI. Ele obtém sabedoria, riqueza, poesia e onisciência. Ele se torna o Brahma de quatro faces durante cem milhões de eras. Para que serve falar? Falar sobre isso não serve para nada. Se uma pessoa cultua com as flores menstruais, ele também adquire poder sobre o destino. Fazendo muitos rituais [PÚJÁ] desse modo, ele pode se libertar. O devoto deve colocar uma SAKTI dentro do círculo [MAÔflALA]. Ela deve ser encantadora, bela, desprovida de vergonha e nojo, encantadora por natureza, supremamente bela e charmosa. Depois de lhe dar a vitória [VIJAYA], o devoto deve cultuá-la com devoção suprema. Ele deve colocá-la à sua esquerda, e deve cultuar seu YONI adornado com cabelos. Nas bordas do YONI, o devoto deve colocar sândalo e belas flores. Lá, introjetando a deusa, ele deve fazer JIVA NYÓSA usando mantra, dando-lhe vinho e desenhando uma meia-lua com vermelhão. Depois de untar sua testa com sândalo, o devoto deve acariciar seus seios. Depois de recitar o mantra 108 vezes, enquanto ela está em seus braços, o devoto deve acariciar seus seios, depois de beijar o seu queixo. O mantra deve ser recitado 108 ou 1008 vezes no círculo do YONI. Depois de recitar o mantra poderoso, ele deve recitar muito devotamente o hino. No momento do culto, o GURU não deve estar presente. Eu [SÍVA] sou aquele que cultua. Se o GURU estiver presente, não haverá resultado, não há dúvidas sobre isso. O devoto, usando grande esforço, deve transferir os resultados do ritual para o GURU. Depois de fazer três oferecimentos com as mãos cheias de flores, ele deve se prostrar novamente para seu GURU. O sábio deve, sempre, oferecer a seu GURU, colocando as mãos juntas, em sinal de obediência. Depois de realizar o ritual do YONI por estes métodos, o devoto atinge tudo o que deseja – não há dúvidas sobre isso. Fazendo a adoração do grande YONI, que liberta do oceano da miséria, ele obtém vida e vitalidade ampliada."

Parte 2

DEVÍ disse:

“Deus dos deuses, senhor de todo o universo, causa da criação, manutenção e destruição, sem você não há pai, assim como sem mim não há mãe. Você falou sobre o modo de realizar a adoração ao YONI através da união sexual [MAITHUNA]. Que tipos de YONI devem ser cultuados, e quais trazem bons resultados?”

"O devoto deve cultuar o YONI da mãe, e unir-se a todos os YONI. Ele pode realizar MAITHUNA com qualquer mulher, entre as idades de 12 e 60 anos. Ele deve cultuar o YONI diariamente, usando os cinco princípios [PAÑCATATTVA = vinho, carne, peixe, cereal e mulher]. Vendo o YONI, ele ganha o mérito de se banhar em dez mil lugares de peregrinação. A marca na testa deve ser feita com YONITATTVA e a roupa deve ser to tipo KAULA. O material utilizado para se assentar e para o culto deve ser do tipo KULA. Primeiro, na união, o devoto puro deve puxar a SAKTI para si pelo cabelo e deve colocar o LINGA em suas mãos. A adoração do LINGA e a adoração do YONI devem ser realizados de acordo com as normas. Ó amada, deve-se untar o LINGA com pó vermelho e com sândalo. O LINGA deve ser inserido no YONI e deve ser feito um MAITHUNA vigoroso. Aquele que utiliza esse método atinge a essência mais elevada. Um devoto deve cultuar utilizando o YONITATTVA, que tem o poder do YONI, aquele que ilude o mundo, à noite, durante a lua cheia, numa encruzilhada. Depois de ir a um lugar de cremação, oferecendo peixe cozido, leite, comida e carne, ele se torna como KUBERA, o deus das riquezas. Deve-se traçar no chão um YANTRA sob a forma de um YONI, recitando o mantra. Ó DEVÍ, depois de recitar o KAVACA, uma pessoa deve recitar os 1.000 nomes [da deusa]. Ele se torna um filho de KALIKA e se liberta. Oferecendo carne em um lugar deserto e repetindo o mantra e o hino, ele se torna o senhor do YOGA. Tendo visto o YONI em plena menstruação, depois de se banhar e recitar o mantra 108 vezes, uma pessoa se torna SIVA na terra. Deve-se recitar o mantra depois de oferecer tanto o seu próprio sêmen quanto as flores do YONI. Durante a noite, devem ser oferecidos peixe cozido, ovo, carne de rato, carne de boi, carne humana, vinho, carne e cereal. Seja onde for que esteja esse grande lugar de oferecimentos, lá está a grande essência. Deve-se ficar nu, com os cabelos soltos, de pé na postura do caçador [PRATYALIDHA]. Em todos os instantes e em todos os lugares, o mantra deve ser recitado quando estiver no grande YONI. Deve-se cultuar a essência de DEVÍ, o poder sob a forma de SAKTI. Fazendo isso, um homem atinge as quatro metas [DHARMA, ARTHA, KAMA, MOKSA]. Os SADHAKAs, reunindo-se à noite, deve fazer oferecimentos com vinho e carne. Um SADHAKA deve sempre se unir ao YONI, depois de acariciar os seios de SAKTI. Se a união for realizada na postura VIPARITA, a SAKTI se torna a deusa. O SADHAKA se regenera instantaneamente e se torna completamente vivo utilizando a água que lavou o YONI e o LINGA. Depois de cultuar o grande YONI de acordo com as normas, deve-se fazer um oferecimento. A água do YONI é de três tipos e deve-se oferecê-la a SAKTI. Depois de misturar a água com vinho, ó MAHADEVÁ, um SADHAKA puro deve bebê-lo. A mulher superior ficará contente oferecendo-lhe roupas, perfumes e jóias. Enquanto estiver no YONI, deve-se cultuar a sabedoria, durante a noite, de acordo com o ritual. O melhor dos SADHAKAs deve misturar os líquidos do YONI e do LINGA na água, e provando dessa bebida da imortalidade [AMÙTA] ele deve se nutrir com ela."

Tradução: Roberto A. Martins

Categories:

Leave a Reply

Deixe seu Recado ou Sugetões:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...